Mariana Gonçalves, série "Corpo-jardim" (2019)

Técnica: tecidos de malha, moletom, soft, atoalhado, tule preenchidas com fibra acrílica, ímãs e grãos diversos.

Dimensões: escala humana, dimensões variam de acordo com a peça.

Corpo-jardim

Corpo-jardim nasce da necessidade de explorar possibilidades sensoriais e visuais ligadas à sensação do corpo contido na forma circular. Orifícios, invólucros e buracos de tecido: a “pele” dessas estruturas envolvendo a pele humana e a forma primária do ser como ovo, zigoto,feto.

 

Com instalações interativas em escala humana abre-se um parque, um pátio, um jardim de possíveis meios de se enfiar.  São esses vácuos presentes, de textura macia, que gentilmente sussurram os contornos de um corpo que já morou ali. Não é apenas reconstruir a antiga morada-mãe, mas sim brincar com a potencialidade de aconchego no que pode nos envolver agora. Que forma é capaz de nos conter?

 

São os volumes e as texturas de cada peça que vão propor essa relação, que não passa apenas pelo visual, mas também pelo toque procura escavar subjetividades que apenas o “corpo antes da mente”, básico, primário, biológico e bruto, ainda detém.

 

Dar espaço às memórias que o corpo guarda escondido, dentro de um imaginário profundo do que é participar de um ser. Todos os orifícios que esse projeto apresenta servem de relicário para as pequenas memórias do que um dia foi o lar comum a todos.

detalhes de cada peça:

Brejo

2019

técnica: tecido atoalhado e malha de algodão, preenchida com fibra acrílica.

dimensões: 

parte maior:

20cm altura

x 1 metro de largura

x 7m de comprimento

parte menor:

20cm de altura

x 1 metro de largura

x 4m de comprimento

Sua dimensão horizontal permite que o expectador percorra sua extensão, caminhando, deitando, sentando e enfiando as mãos e os pés nas cavidades em tule. Possui duas partes independentes que podem ser expostas juntas criando mais comprimento linear ou podem ser dispostas separadamente, compondo o espaço expositivo da melhor forma.

Tetudos

2019

técnica: tecido de malha atoalhada preenchida com fibra acrílica, com partes em crochê com fio de lã acrílica. 

dimensões: 

35cm de altura

x 35cm de diâmetro cada

Cy

2019

técnica: tecido suplex  (viscolycra) e tecido soft preenchida com fibra acrílica. 

 

dimensões: 

1,20m de diâmetro

x 1m de profundidade

Permite que o expectador sente, deite ou se enfie em sua cavidade como preferir. 

Dancers

2019

técnica: tecido moletom felpudo e atoalhado preenchidas com fibra acrílica grãos e de feijão e ímãs.

dimensões: 

peça maior:

1,70m de altura 
x 15cm de diâmetro.
peça menor:

1, 30m de altura 

x 15cm de diâmetro.

Podem ser manipulados e moldados de várias formas ao corpo do expectador. São pesados nas pontas e possuem ímãs nas extremidades inferiores que grudam no chão e permitem a sua sustentação como pés de bailarinos. Também possuem ímas na parte superior que podem ser grudados em paredes e objetos metálicos.

Corpo de Tempo

2019

técnica: retalhos de tecido moletom atoalhado costurados para ocupar o vão do espaço expositivo. 

dimensões: 

2,5m de altura (ajustável de acordo com o vão do espaço expositivo) 

x 20cm de diâmetro

Com referência a rugas, crostas e formações rochosas, este trabalho se relaciona com a ideia de um tempo em espiral que constrói e sobrepõe camadas de matéria, traçando um paralelo com o tempo real ao longo do ato de costurar retalho por retalho do tecido. Sua estrutura flácida remete também a um corpo orgânico velho, é algo que não possui uma estrutura central, mas depende de referências de início e fim para se estruturar, assim como o tempo.

Mariana Gonçalves is a visual artist based in São Paulo - Brazil.

marianagoncalvesneves14@gmail.com